YARA TUPYNAMBÁ – UMA VIDA NA ARTE

YARA TUPYNAMBÁ – UMA VIDA NA ARTE

Uma das mais importantes e festejadas artistas brasileiras, Yara Tupynambá ganha exposição com obras de diversas fases de sua carreira. “Yara Tupynambá – Uma vida na arte – Obras de 1957 a 2019” inaugura novo endereço da Errol Flynn Galeria de Arte (rua Curitiba, 1.862, Lourdes), onde, de 11 de junho a 5 de julho, com entrada franca, o público poderá conferir 106 obras da pintora, divididas em séries que datam da década de 50 aos dias atuais. Com curadoria de Errol Flynn Júnior, a mostra propõe um “passeio” pelos principais ciclos de Yara, que, aos 87 anos, celebra mais de seis décadas de dedicação ao ofício. Durante a exposição, será lançado, ainda, catálogo-livro da mostra com imagens das obras e textos dos críticos de arte Carlos Perktold, Enock Sacramento e Olívio Tavares de Araújo.

Dividida em séries, a exposição apresenta, inicialmente, as obras em “preto e branco”. Em seguida, vêm os “desenhos de Ouro Preto”. Já a seção “Alcântara” é composta por quadros nos quais Yara começa a usar o carvão. Em outras duas séries, os destaques são a cultura popular de Minas – por meio das figuras e do tradicional artesanato em cerâmica do Vale do Jequitinhonha – a cultura erudita, representada por Marília de Dirceu, além de igrejas e oratórios, valorizando o barroco mineiro. A área de “Cidades”, por sua vez, serve de ponto de partida à fantasia.

Destaque, ainda, para “paisagens”, desenvolvida nos anos 2000. Trata-se de trabalho anterior às seções ecológica e de parques. O contato com a natureza é renovado quando Yara inicia uma série ecológica, para retratar a diversidade e a importância da flora mineira. Tais obras foram apresentadas na Casa Fiat de Cultura, em 2016.

As três últimas séries da exposição são inéditas para o público: “Parques”, com destaque para o Parque Municipal, o Parque das Mangabeiras, o Parque Jacques Cousteau, no bairro Betânia, e o Parque Ecológico, na Pampulha ; “O artista visita meu ateliê” – em que as vivências de Matisse, Gauguin, Monet e Bonnard levaram a artista a se apropriar de suas figuras, inserindo-as no ambiente de seu ateliê –; e “Circo”, com trabalhos realizados em 2019. A exposição conta, ainda, com cinco painéis, entre os quais, “Os Quatro Cavaleiros do Apocalypse”, de 1995, que é um painel atemporal e representa todo o período da vida humana. Os painéis pintados por Yara Tupynambá, conforme enfatiza a crítica, reafirmam a artista como uma das grandes muralistas brasileiras. Vários órgãos públicos e privados ostentam murais minuciosamente pensados e trabalhados, alguns tombados pelo Patrimônio Histórico, com destaque especial para “Inconfidência Mineira”, instalada no saguão da reitoria da UFMG e “Desbravamento do Rio São Francisco”, afixada na Faculdade de Educação.

A escolha de Yara Tupynambá para inauguração do novo espaço da Errol Flynn Galeria de Arte – fruto de antigo desejo dos donos em proporcionar, a amigos, colecionadores e artistas, um espaço mais amplo, com melhor qualidade –, foi, na visão de Errol Flynn Júnior, “corretíssimo, pois não há como abordarmos a arte mineira sem falarmos dessa grande lutadora, uma das maiores muralistas do Brasil. Para nós, mineiros, ela é um ícone das artes plásticas. E será questão de tempo ser mais reconhecida em nível nacional”. O curador salienta, ainda, que, na exposição, há várias séries importantes da carreira “dessa virtuosa artista, o que demonstra sua eclética e constante qualidade durante mais de 60 anos de carreira”.

Estar na exposição será, também, a oportunidade de passear pela trajetória de Yara Tupynambá, que, ainda jovem, começou a desenhar sob orientação de Alberto da Veiga Guignard, no Parque Municipal de Belo Horizonte. “Ali, aprendemos a ver a diferença das folhagens das árvores, o movimento dos galhos e a presença de pessoas em cenário bucólico. Isso foi nos anos 1950. Depois, já na escola, exercitamos os desenhos com modelo vivo e de criação, a partir da memória de nossa vivência”, conta Yara. Oswaldo Goeldi também foi importante na formação de Yara, que, durante sua passagem pelo Rio de Janeiro, deu ainda mais vigor a seu trabalho. Ela aprendeu, com o brilhantismo do mestre, nuances da técnica da gravura.

 

“Penso que dificilmente poderei reunir outra vez tantos trabalhos em uma única exposição. Portanto, esta é uma exposição fundamental em minha carreira”, completa a artista Yara Tupynambá.

 

Artista inovadora

 

A escolha da obra de Yara para a inauguração da Errol Flynn Galeria de Arte vai ao encontro do principal objetivo do novo espaço: a busca por aperfeiçoamento e aprimoramento permanentes, em todas as esferas da arte. Por meio de pesquisa constante, pretende-se oferecer o que há de melhor ao público. “Como a nova sede abarcará tais aspirações, escolhemos Yara Tupynambá para inaugurá-la. Acreditamos, afinal, que ela seja a artista que mais representa a cultura, os valores e as riquezas de Minas Gerais. Sua obra pulsa forte no coração de Minas”, destaca Leonardo Flynn, sócio do irmão, Errol, no novo espaço cultural de Belo Horizonte.

O caráter sempre inovador da artista é também destacado pelo crítico Olívio Tavares de Araújo: “É impressionante vê-la, há décadas, permanentemente buscando novos caminhos, novos temas, novas abordagens, sem abandonar, bem entendido, seu fulcro: nossas Minas. Isso resulta numa produção rica, variada e unitária. Unitária também estilisticamente, já que uma obra de Yara se reconhece à primeira vista, por um certo lirismo assertivo”, resume.

Também crítico de arte, Enock Sacramento comenta que a pintura, o desenho e os murais da artista têm suas raízes fincadas em Minas Gerais, de sua história à alma de seu povo. “As paisagens montanhosas de Minas, as vegetações exuberantes do Vale do Tripuí, do Vale do Rio Doce, de Inhotim e os campos rupestres da Serra do Cipó estão vivificadas em sua obra pictórica”.

Por fim, Carlos Perktold lembra que “montada no dorso de um leão desde a juventude, Yara sempre soube ser senhora de si mesma, dona de seu próprio nariz, senhora absoluta em sua própria casa e sabedora do que queria da vida”. O crítico de arte destaca, ainda, que as mais de cem obras da exposição são “belas pinturas de grandes formatos, que conduzem o espectador à reflexão de seu humanismo, representado pela onipresente figura humana, tão frequente nos artistas humanistas”.

Sobre Yara Tupynambá

Natural de Montes Claros (MG), Yara Tupynambá realizou estudos artísticos com Alberto da Veiga Guignard e Oswald Goeldi, além de ter sido bolsista do Pratt Institute, em Nova Iorque. Professora titular da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), de onde foi diretora, participou dos Salões de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Belo Horizonte, São Paulo, Brasília, Paraná, Porto Alegre, Campinas, Ouro Preto e Pernambuco, assim como das Bienais de São Paulo e Salvador. Contou, ainda, com Sala especial na Bienal de São Paulo, no Salão Global TV Globo, em Belo Horizonte, e no Salão da Gravura, em Ouro Preto (MG).

Realizou diversas exposições individuais em Belo Horizonte: Galerias Guignard, Palácio das Artes, AMI, Teatro da Cidade, Atelier Cor de Minas, Espaço Cultural do UniBH; em Juiz de Fora: Galeria Assir Artes e Funalfa; em Tiradentes: Galeria Oscar Araripe; Rio de Janeiro: Galerias Chica da Silva, ICBEU e Museu Nacional de Belas Artes; em São Paulo: Galerias Danúbio, Sobrado, Casa das Artes e Portal; em Brasília: Galerias Oscar Seráphico, Performance, Teatro Nacional e Espaço Cultural da Câmara Federal. Exposições em Espaços Culturais da Caixa Econômica Federal em São Luís – MA, Ituiutaba, Juiz de Fora e Casas da Cultura em Sete Lagoas, Nova Era e Uberlândia, MG. Exposições individuais internacionais nas Galerias Hourian, em São Francisco, EUA; Institute of Education, Londres; Galeria Inter-Art, Paris; Brazilian Cultural Institute, New York; e Galeria de Vilar, Porto, Portugal.

Selecionada para inúmeras mostras nacionais, em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre e Curitiba, Yara representou a arte mineira em todas as grandes coletivas organizadas por entidades oficiais, como Palácio das Artes, Cemig, Secretaria da Cultura e Fundação Newton Paiva Ferreira. Também participou de mostras internacionais, como I Certame Latino-Americano de Xilogravura, Buenos Aires, Argentina; Artistas Brasileiros em Indiana e Ohio, EUA; Artistas Brasileiros em The Brazilian American Cultural Institute, Washington; Artistas Brasileiros na Cité Universitaire, Casa do Brasil, Paris; Artistas Brasileiros Selecionados para o Acervo do Museu Skopje, Iugoslávia; Artistas Brasileiros na Nigéria; Artistas Brasileiros no BAC, New York. Participou, ainda, das mostras da Xilon Internacional, e foi selecionada para a Bienal Internacional de Gravura sobre Madeira em Ivry, na França.

A artista foi incluída em numerosos livros sobre a arte brasileira. Além disso, vários livros foram editados sobre sua obra: Pelos Caminhos de Minas(2007); A Mesa (2011), sobre poemas de Carlos Drummond de Andrade e ilustrações do painel do mesmo nome, e A História de Minas Através dos Murais de Yara Tupynambá (2015). De sua autoria, publicaram-se Sabará, com Henrique Leal (2005); Artesanato brasileiro (2009) e Muralismo (2014).

Dentre seus prêmios, destacam: II Prêmio de Escultura no Salão de Belo Horizonte; I Prêmio de Gravura no XVI Salão de Belo Horizonte; I Prêmio de Desenho TV Itacolomi, entre artistas mineiros; I Prêmio de Ilustração Diário de Notícias, Rio de Janeiro; II Prêmio de Desenho no Salão de Pernambuco; I Prêmio de Gravura no II Salão de Trabalho, São Paulo; Medalha de Ouro no Salão do Paraná; Prêmio de Aquisição no Salão de Porto Alegre; Prêmio Especial Paschoal Carlos Magno no Salão do Pequeno Quadro, Rio de Janeiro; Menção Especial no Salão do Paraná com a equipe Estandarte; I Prêmio de Gravura com a equipe Estandarte no IV Salão de Arte Contemporânea de Belo Horizonte.

Recebeu, como reconhecimento público, a Medalha de Ordem do Mérito Legislativo (Assembleia Legislativa de Minas Gerais); a Comenda da Inconfidência Mineira (Governo de Minas Gerais); a Palma de Ouro (Fundação Clóvis Salgado); a Medalha Santos Dumont – Grau Ouro (Governo de Minas); a Medalha Professora Lílian Câmara (Agremiação Amigas da Cultura de Montes Claros); e a Medalha Israel Pinheiro (Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais). Em maio de 2010, ganhou o título de “Mulher do Ano” no setor das artes plásticas, pela Confederação Nacional de Mulheres, do Rio de Janeiro, e, em 2012, o prêmio de Artista do Ano, pela trajetória, concedido pela Associação Brasileira de Críticos de Arte.

Yara Tupynambá tem 105 painéis e murais espalhados por inúmeras cidades brasileiras. Sete de seus murais foram tombados, em novembro de 2009, pelo Patrimônio Histórico e Artístico de Belo Horizonte.

Errol Flynn Galeria de Arte

Artistas brasileiros com trajetória respeitável, no difícil mercado de arte do país, são privilegiados pela Errol Flynn Galeria de Arte, independentemente das vertentes nas quais se enquadram. “Trabalhar com uma visão única da arte brasileira seria apequená-la ou reduzi-la. Por isso, buscamos sempre bons representantes de cada estilo – contemporâneo, moderno, acadêmico, concretista ou impressionista – para nossas exposições ou leilões”, explica Errol Flynn Júnior.

As mostras têm caráter cultural e educativo, de modo a apresentar ao público a visão de mundo de cada artista, ao passo que os leilões dão visibilidade àqueles que têm se destacado aos olhos dos indispensáveis investidores. “Também apresentamos novos talentos, que ainda não se consagraram, e opções vantajosas aos colecionadores. A cada exposição, procuramos editar ‘catálogos-livros’, que consistem em relevante registro de divulgação dos trabalhos, de maneira a ampliar as perspectivas e possibilidades dos artistas”, destaca Leonardo Flynn.

Serviço:

Exposição Yara Tupynambá – Uma vida na arte – Obras de 1957 a 2019

Período expositivo: 11 de junho a 5 de julho de 2019

Errol Flynn Galeria de Arte (rua Curitiba, 1.862, Lourdes)

De segunda a sexta, das 9h às 19h; sábado, das 9h às 13h

Entrada gratuita

Valor do catálogo: R$ 50

Data

12/06/19

Custo

GRATUITO

Localização

Errol Flynn Galeria de Arte
rua Curitiba, 1.862, Lourdes
Categoria
QR Code

No Comments

Leave a Reply

NOSSO TIME

EXPEDIENTE


O ESQUEMA NOVO é feito por esta equipe supimpa!
#ESQUEMANOVO

REDES SOCIAIS


SEMPRE QUE PRECISAR

FALE CONOSCO


Dúvidas, elogios, envio de material, palpites
e até mesmo xingamentos por aqui!

INSTAGRAM