WÄLS SESSIONS

WÄLS SESSIONS

A primeira temporada do WÄLS SESSIONS movimentou o parklet em frente ao Wäls Gastropub com um pequeno recorte da música autoral made in BH e proporcionou aos visitantes um happy hour agradável, com o chopp Wäls a R$5,90 e um novo ponto de encontro para quem quer um momento para desacelerar antes de ir para casa. Por que não repetir a dose?

Dizem por aí que a quinta-feira é o melhor dia da semana para um happy hour. É aquele dia em que você ainda não largou a caneta no trabalho e partiu para o fim de semana, mas já está com aquele gostinho de “está chegando” na boca, a fim de misturá-lo com um bom chopp.

A partir do dia 25 de maio, o WÄLS SESSIONS está de volta, com mais cinco datas, produzidas pela Arreda Produções, o Esquema Novo e o Wäls Gastropub. Junte sua turma e venha aproveitar o fim de tarde/começo de noite ouvindo boa música e saboreando o melhor chopp da cidade.

Os shows do WÄLS SESSIONS começam sempre às 18h.
A programação é a seguinte:

 

25/05
The Junkie Dogs

01/06
Érika Machado

08/06
M O O N S

14/06 (véspera de feriado)
Péricles Garcia

22/06
César Maurício

THE JUNKIE DOGS

A música desenvolvida desde o início da carreira do grupo, é um contraponto à tendência atual do mercado de se gravar e lançar rapidamente: a busca por sonoridades, instrumentos, assim como a experimentação de técnicas de registro, resulta na arte dos Dogs.

A voz de Rafael Ludicanti, que, além de cantor e guitarrista, é o principal compositor do disco, é mais uma característica marcante dessa unidade. O grupo também é formado por Marcos Braccini (baixo), Marcos Sarieddine (piano elétrico e sintetizadores), Bruno Leal Medeiros (guitarra) e Flávio Freitas (bateria). O nome da banda é fruto das influências literárias do grupo: vem do livro Junkie, de William Burroughs. Os integrantes se inspiram na cultura beatnik em seu processo criativo, tendo a utopia e a contestação como fio condutor de seu trabalho. Entre as referências musicais estão artistas como Iggy Pop e Jimi Hendrix, bandas como Massive Attack, Portishead, Led Zeppelin, Radiohead e Beatles.

No álbum, também intitulado The Junkie Dogs, encontram-se letras sobre solidão, expectativas, encontros e despedidas, em músicas com temas, timbres e climas diversos. Todos esses elementos criam uma só identidade: um rock que une agressividade e delicadeza, peso e suavidade.

A preocupação com os timbres é uma herança do rock dos anos 1960 e 1970. O disco The Junkie Dogs tem 13 faixas autorais e letras em inglês, com exceção de Toxic Glue, cantada em francês. O grupo escolheu tipos diferentes de baixo, bateria, microfone e guitarra – nesse caso, foram mais de dez modelos –, gravando em vários momentos e locais. Com produção de Thiakov, as músicas foram mixadas por André Cabelo no Estúdio Engenho e masterizadas por Carlos Freitas no Classic Master, em São Paulo. No momento a banda produz no estúdio Minotauro o próximo álbum.

Para escutar o disco completo, acesse: www.soundcloud.com/thejunkiedogs ou baixe gratuitamente em  http://www.4shared.com/zip/sgpjn3ONba/The_Junkie_Dogs.htm

ERIKA MACHADO

Depois de uma longa temporada sem se apresentar no formato voz e violão, Érika decidiu fazer parte do show neste formato, o repertório será um passeio por músicas dos três discos autorais já lançados: No Cimento (2006), Bem Me Quer Mal Me Quer (2009), Superultramegafluuu (2015).

Para a segunda parte serão apresentadas algumas músicas das Spicy Noodles, projeto feito em parceria com Filipa Bastos. Spicy Noodles nasce do projeto Olhar Passageiro, incubado numa residência artística do verão alentejano de 2016. Aqui, a brasileira Érika Machado, em parceria com a portuguesa Filipa Bastos, experimentaram os contrastes e semelhanças entre paisagens, ritmos e costumes entre a experiência nas vilas e a habitual vida na cidade grande, percepções que serviram de referência para a construção de um novo trabalho. O resultado é-nos apresentado num show em que a sonoridade é regada por samplers, guitarras, teclados, baixo e bits eletrónicos, que são misturados como pacotes de temperos istantâneos para uma explosão de barulhinhos em cada uma das canções. Para cada canção foi feitoum vídeo em animação para serem projetados nos shows.

A tour iniciou em Portugal e contou com apresentações na Casa da Música (Porto), Festival Gerador Ignição (Lisboa), Pensão Amor (Lisboa), Casa do Povo (Ovar), 7arte (Castro Verde), Festival Atalaia Artes Performativas, entre outros.

M O O N S

M O O N S é uma banda de um homem só do músico mineiro André Travassos. Depois de seis anos integrando o Câmera, banda de indie rock conhecida por um dos melhores discos nacionais de 2014, André decidiu dedicar tempo e esforço em um projeto novo, que flerta com folk, space rock e pitadas de música brasileira. Com produção de Leonardo Marques e colaboração de músicos da nova geração mineira, o álbum de estréia “Songs of Wood & Fire” (La Femme qui Roule, 2016) é um convite para viajar, sem o peso da gravidade, através das montanhas de Minas Gerais. O som tem gosto de madeira e queima como o carvão em uma fogueira.

Após seis anos como guitarrista, vocalista e compositor da banda Câmera, André Travassos encabeça agora um novo projeto. Com o Câmera lançou dois EPs de forma independente e o elogiado full lenght Mountain Tops (2014, Balaclava Records) que levou a banda a tocar nos principais festivais independentes brasileiros, como Festival Transborda e Viva em Belo Horizonte, Coquetel Molotov em Recife, Bananada em Goiânia, Picknik em Brasília e também no importante Primavera Sound em Barcelona. A banda também abriu shows de artistas como Real Estate, Stephen Malkmus e Siba. Durante esse período ainda encontrou tempo e inspiração para se dedicar em um projeto mais intimista e orgânico chamado Invisível. Com o disco de estreia chamado Yours Truly (2015, La Femme Qui Roule) o trio fez poucos mas concorridos shows ao longo do ano, espalhando seu folk por pequenos teatros e pelas casas de shows mais importantes de Belo Horizonte.

PÉRICLES GARCIA

O cantor e compositor mineiro Péricles Garcia apresenta o show de seu mais recente trabalho – o CD “Rua Universo”. Acompanhado de seu violão, Péricles mostra em primeira mão e em formato intimista as canções do novo disco, além de músicas dos seus três CDs anteriores – Mar de Montanhas (2002), Cosmopolita (2011) e Outros Heróis (2013). O CD “Rua Universo”, quarto trabalho de Péricles, traz nove canções autorais inéditas, sendo quatro em parceira com o talentoso baterista e letrista Paulo Valle, parceiro mais que presente em seu último disco “Outros Heróis”. Além disso, o músico mineiro regravou “Ícaro”, uma de suas canções mais conhecidas e que nessa nova versão conta com a participação da banda Cartoon. Outros amigos de longa data participam desse CD como o cantor e compositor paulista Tuia, além, é claro, dos músicos da Confraria do OH!, banda de apoio de Péricles Garcia.

As canções do novo álbum abordam temas como a simplicidade e o amor universal. O disco traz ainda uma singela homenagem: a primeira canção que Péricles fez para seu filho Francisco, nascido em 2015. Um trabalho que mistura um pouco dos estilos que o músico mineiro vem desenvolvendo desde o álbum “Outros Heróis”: o folk, o soft rock, o pop, a canção e até mesmo um “folk progressivo” de 9 minutos, contando a história de um alpinista e seu desejo cego pelo topo. Nesse novo show em versão acústica, Péricles Garcia aproveita-se do formato voz e violão para dar destaque às canções mais introspectivas de seu repertório autoral, com ênfase nas músicas do CD “Rua Universo”.

CÉSAR MAURÍCIO

Depois de ter gravado em 2010 seu primeiro disco solo – Não posso devolver sem danos seu bobo coração – César foi passar uma temporada em Barcelona, Espanha, onde se dedicou aos estudos de Cinema de Documentário. O músico, que também é artista plástico, atua em mais de um ramo das artes, e é formado em Cinema de Animação. César é também co-fundador e responsável pelos documentários e animações produzidos pela Ong Favela é Isso Aí.

É bom lembrar também que o artista fez parte de um dos grandes momentos da música Pop Brasileira nos anos 90, como vocalista e letrista do Virna Lisi, grupo que misturava como ninguém o punk rock com o samba e as batidas tiradas do Congado, somado a letras curtas e em bom português. Até hoje a banda carrega uma legião de fãs, sendo considerada por muitos como uma das mais criativas do país. Com o fim do Virna, César, junto com outros parceiros, criou o Radar Tantã, dando sequência à boa musica pop rock, ainda que mais intimista e suave. As letras, porém, continuavam a trazer a mesma inquietude de César, ácido-romântico e por vezes sarcástico, artista que sempre buscou na poesia, ora concreta, ora experimental, a base para suas letras.

Com o fim do Radar – afinal, banda tem de acabar, como ele mesmo diz -, César se dedicou a compor com outros artistas, como Samuel Rosa (Skank), Lô Borges e Carolina Lima, além de ter visto algumas de suas canções gravadas por outros artistas, como a Banda Ira! Algumas de suas letras são hoje hits que tocam por todas as rádios do Brasil, como é o caso de “Qualquer Lugar”, em parceria com Lô Borges e “Noites de um verão qualquer” e “Seus Passos”, escritas para o parceiro Samuel Rosa e que ganham potência na performance do Skank.

Atualmente César vive entre Belo Horizonte e Coimbra, Portugal, onde se dedica ao seu Doutorado em Arte contemporânea.

Para esse show, César se juntou a seu grande amigo e parceiro Alysson Zuin, que, assim como ele, se dedica a várias atividades em paralelo à música. Zuin é hoje um dos grandes fisioterapeutas do país, com seu trabalho à frente do time de vôlei Sada Cruzeiro. Tendo a guitarra como seu instrumento para a música e à frente de sua banda, Ragnarock, Zuin rodou o país com um rock que flerta com o metal e o punk. O desejo de trabalharem juntos sempre foi levado a sério, mas foi no final de 2015 que os dois músicos decidiram finalmente construir um projeto e uma parceria que se espera duradouros e que em breve será apresentado – tudo com muita calma e tempo, claro!

Essa apresentação no Wäls Sessions será uma pequena mostra do que vem pela frente.

SERVIÇO

Wäls Gastropub, Arreda Produções e Esquema Novo apresentam:

WALS SESSIONS

Dias: 25/05, 01/06, 08/06, 14/06, 22/06
Horário: de 18h às 21h.
Local: Wäls Gastropub (Rua Levindo Lopes, 358, Savassi
Entrada gratuita

Data

25/05/17

Tempo

18:00 - 21:00

Custo

Entrada Gratuita
Wals GastroPub

Localização

Wals GastroPub
R. Levindo Lopes, 358 - Funcionários, Belo Horizonte - MG, 30140-170
Categoria
QR Code

No Comments

Leave a Reply

NOSSO TIME

EXPEDIENTE


O ESQUEMA NOVO é feito por esta equipe supimpa!
#ESQUEMANOVO

REDES SOCIAIS


SEMPRE QUE PRECISAR

FALE CONOSCO


Dúvidas, elogios, envio de material, palpites
e até mesmo xingamentos por aqui!

INSTAGRAM


This error message is only visible to WordPress admins

Error: No connected account.

Please go to the Instagram Feed settings page to connect an account.